Como eu era antes de você, de Jojo Moyes

Como eu era antes de você, de Jojo Moyes

Lindo, tocante e muito triste. Não existem outras palavras que possam descrever esse livro. Com escrita fluida e suave, Jojo Moyes conseguiu criar uma história destruidora. Um conto de amor tão profundo e tão emocionante que causa desejo em todos os leitores de viver um romance assim e, ao mesmo tempo, um profundo medo desse amor. Contudo, antes de falar mais, deixe-me contar um pouco dos motivos que me levaram a lê-lo.

Tudo começou no Facebook. Não me recordo seu nome, mas, há muito tempo, eu havia visto uma publicação em um grupo com uma foto da produção do filme e tive uma curiosidade de ler os comentários. Quando comecei a lê-los, só vi pessoas falando de como tinham se emocionado na leitura. Como a cena mostrada na imagem era a mais triste. Como não conseguiram segurar o choro. E uma lista enorme de descrições de lágrimas e soluços. Nesse momento, então, não consegui me conter e fiquei com vontade e, mesmo, curiosidade de sentir as mesmas emoções. Apesar do interesse eu não comprei o livro naquela hora. Passam-se alguns meses e foi aniversário de uma sobrinha minha que ama leitura. Quando minha mãe não soube o que dar de presente eu sugeri esse livro baseado nas críticas que havia lido. E foi batata! Ela leu e só faltou morrer desidratada de tanto chorar. Nesse momento eu sabia que deveria lê-lo também.

Decorreu mais algum tempo e eu não o tinha sequer comprado quando o filme estreou. Queria vê-lo, mas ainda tinha uma vontade maior em ler a história antes e eu sabia que se fosse ao cinema primeiro eu enrolaria com o livro e poderia acabar nem lendo (isso já me aconteceu antes com outros livros). Então desafiei a mim mesmo a concluir a leitura em tempo recorde e só depois ver o filme. E tinha que ser rápido para ter tempo antes que ele saísse de cartaz e, se eu conseguir manter esse ritmo em outros livros depois, ajudar-me-á a concluir minha meta de leitura anual.

Pois bem, eu consegui! Terminei o livro e no mesmo dia fui ao cinema. Por isso mesmo creio que a melhor forma de escrever esta resenha é fazendo uma comparação do livro com o filme. Começando com o segundo, eu posso dizer que é bom. Não é espetacular como o primeiro, mas bom. Nele, assim como em quase todas as adaptações, grande parte da história passa-se correndo. Não há tempo suficiente para desenvolvê-la com tantos detalhes quanto em um texto escrito. Por essa razão muita coisa é diferente e alguns personagens sequer existem. Além disso, muitos recursos empregados pela autora no livro não estão presentes, o que prejudica a imersão dentro da história.

Os fatos, em geral, são narrados em primeira pessoa sob a perspectiva de Louisa Clark que, junto com Will Traynor, são os personagens principais. Contudo, Moyes consegue ganhar uma imersão brilhante e profunda quando escreve também sob a perspectiva de outros personagens. Assim, tanto as visões e pensamentos da Lousia; Katrina, sua irmã; Nathan, enfermeiro de Will; Camilla Traynor, mãe de Will e Steven Traynor, pai de Will; são representados. Esse recurso foi de grande importância por permitir imergir na mente dos outros personagens ao mesmo tempo que propiciou observações de coisas que aconteceram com a Louisa que, de outro modo, o conhecimento não seria possível. Tanto esse mergulho na mente dos outros personagens quanto os pensamentos que passam apenas na cabeça da Lousia não são representados no filme (seria mesmo impossível de ser sem ficar clichê), o que prejudica a compreensão do todo.

No fim eu posso dizer que chorei. Não tanto quanto os relatos que eu li e escutei, mas é impossível ler uma história assim e não se emocionar. Você torce pelas personagens e sente tudo o que eles estão sentindo. Cada dor, cada mágoa, cada desespero… Tudo aprisionado com um nó na garganta. No filme eu também fiquei tocado. Talvez mais pela memória do que havia lido que por ele em si. Muito do enredo do texto escrito não está presente na versão cinematográfica, mas é impossível assistir ao filme depois de ter vivido o livro e não ficar lembrando dele enquanto o vídeo avança. Então, se você curte romances e quer se emocionar bastante, talvez até se desesperar com a dor dos personagens, eu indico esse livro. Indico com todas as forças e, se quiser ver o filme, tente lê-lo antes. Não irá se arrepender!


Livro: Como eu era antes de você
Autora: Jojo Moyes

D. M. Bittar

Nascido em 11/08/1980 em Brasília. Morou a vida toda na cidade. Se formou em Ciência da Computação pela Universidade Católica de Brasília e atualmente trabalha na área. Formou-se teatro na Companhia da Ilusão. Ama as artes cênicas e possui a leitura, a escrita e o teatro como principais hobbies.

0 Comentários

Nenhum Comentário Ainda!

Você pode ser o primeiro a comentar esta publicação!

Deixar uma Resposta