Paternood, de Mariana Baptista

Paternood, de Mariana Baptista

O que você faria se, durante o sono, ao invés de apenas sonhar fosse transportado(a) para um mundo mágico maravilhoso? E se, por causa desse sonho tão real a sua vida, e a vida das pessoas amadas, corresse perigo? Você não precisa se preocupar com isso, mas para Aline essa é a realidade. O livro vai contar a história dela, típica adolescente de 17 anos, nunca satisfeita com sua vida, que tem apenas um amigo — Lucas — e que, em uma determinada noite, durante o sonho, faz sua primeira visita a Parternood. A partir desse primeiro dia ela não consegue mais deixar de ir ao lugar. De dia em São Paulo, à noite no mundo mágico.

E assim a história se desenrola… Nesse novo lugar ela acaba se apresentando como Malec, nome que traz relação com a história da vila. Ela mesma não sabe o motivo de o ter usado, mas como instinto foi assim que se apresentou na primeira vez que esteve por lá. Com o passar do tempo, Aline vai fazendo novos amigos e conhecendo todas as maravilhas de Paternood. Contudo, por mais encantado e maravilhoso que o lugar seja, ele esconde vários segredos e muitos perigos sendo, alguns deles, mortais. À medida que a trama avança, Malec começa a ser perseguida tanto em Paternoo quanto em São Paulo, o que a faz precisar treinar para se defender. No entanto, o treinamento avança ao ponto em que ela basicamente se torna uma verdadeira guerreira ao exemplo das histórias medievais o que, no auge do livro, tornar-se-á bastante útil; mas para saber a razão você terá de ler o livro.

Falando um pouco sobre o livro em si, a narrativa e a estrutura, não tem tanto a falar. O livro é pequeno, são só 120 páginas e nem todas são da história em si. A narrativa também é tranquila e fácil, fazendo com que leitura flua com naturalidade e o enredo se desenrole sem que você perceba e, como os capítulos são, geralmente, curtos, ela se torna ainda mais rápida. A escrita alterna entre cenas em São Paulo e cenas em Paternood de modo que você acompanha a vida de Aline/Malec de forma crescente em todos os seus ângulos. A única coisa que me incomodou um pouco foi justamente essa alternância conjugada com os capítulos curtos que causam uma certa impressão de fragmentação da história, mas não chega a ser um fator crítico. Fora isso, o livro acaba rápido demais e bem na hora em que você quer saber o que vai acontecer. Só resta torcer para que saia logo a continuação.

Finalizando, nenhum dos problemas citados prejudica o prazer de ler o livro. Em Paternood você vai encontrar personagens carismáticos que te farão gostar deles. A autora vai conseguir cativar seu interesse em continuar na história e, certamente, você também vai querer visitar a vila, vai querer se fazer em guerreiro(a) e vai querer lutar nas batalhas que Malec ainda há de encontrar nos próximos capítulos. Então, não perca seu tempo e leia-o já!!! Não ira se arrepender…


Livro: Paternood
Autora: Mariana Baptista

D. M. Bittar

Nascido em 11/08/1980 em Brasília. Morou a vida toda na cidade. Se formou em Ciência da Computação pela Universidade Católica de Brasília e atualmente trabalha na área. Formou-se teatro na Companhia da Ilusão. Ama as artes cênicas e possui a leitura, a escrita e o teatro como principais hobbies.

0 Comentários

Nenhum Comentário Ainda!

Você pode ser o primeiro a comentar esta publicação!

Deixar uma Resposta